Entrar
Esqueceu a sua senha?
Poll
Está familiarizado com as consequências das alterações climáticas na saúde?
 Sim
 Não
 Vagamente
 
Você está aqui: Entrada / Newsletter_DAPGU / N.34 / PARQUE DE AVIOSO - ILHA DE BIODIVERSIDADE

PARQUE DE AVIOSO - ILHA DE BIODIVERSIDADE

A Biodiversidade do Parque de Avioso - S. Pedro.

 

Olhando para a paisagem que envolve o Parque de Avioso, irá reparar que está rodeado em grande extensão, por monocultura de eucalipto. Quem olhar com mais atenção para a qualidade do solo e estrutura da vegetação rasteira nessas plantações, poderá verificar a escassa diversidade de plantas e animais que convivem com os eucaliptos. Ali encontramos um deserto de biodiversidade.

Entrando no Parque, percebemos porque estamos a entrar numa ilha de biodiversidade:

  • As plantas são variadas tanto ao nível das espécies existentes, como da estrutura de vegetação, existindo os estratos de vegetação: herbáceo, arbustivo e arbóreo;
  • Durante grande parte do ano, existem espécies em floração, possibilitando a atividades de insetos polinizadores e outros invertebrados que estão na base da cadeia alimentar;
  • Existem habitats diversos, tais como: zonas húmidas, prados, orlas arbustivas, bosques, relvados e zonas ruderais, possibilitando abrigo e alimento para múltiplos animais e plantas;
  • Quase não existe terreno sem coberto vegetal, evitando assim a erosão do solo, permitindo a manutenção do ciclo da água e as reservas de água no subsolo;

A equipa de gestão da biodiversidade da Divisão do Ambiente potencia e promove essa diversidade, através de vários procedimentos e técnicas, que complementam o excelente projeto de conceção do parque, que manteve o seu caráter natural.

  • As árvores mortas continuam a desempenhar um papel essencial para os ciclos biológicos, criando abrigo e devolvendo lentamente, aquando da sua decomposição, os nutrientes acumulados ao solo. Por essa razão são acumulados os troncos no solo, evitando o perigo de queda, mas mantendo essas importantes funções ecológicas;

 

  • São cortadas zonas de mato em locais específicos, de forma a diversificar o estrato arbustivo, promovendo o estrato herbáceo autóctone (prado) na sua orla;

 

  • Foram desenhados charcos e micro açudes nas zonas mais propícias para aumentar o habitat disponível para os anfíbios, tendo em conta que existe uma grande diversidade destes importantes animais no Parque. A iniciativa foi resultado de colaboração com o Projeto Corrente Rio Leça, Charcos com Vida do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto; OPTIMUS e Projeto Futuro 100.000 árvores na AMP;

 

  • As margens das linhas de água são mantidas sem corte periódico, para que a vegetação específica das linhas de água se possa desenvolver livremente, diversificando-se da restante flora das zonas secas e melhorando a qualidade do habitat fluvial;

 

  • Foram plantadas espécies autóctones de árvores e arbustos que potenciam permitem a alimentação de aves aumentando a área de vegetação específica de margens de linhas de água com colaboração do Projeto Futuro 100.000 árvores na AMP;
  • No parque não são usados pesticidas, herbicidas ou adubos químicos na sua gestão regular, sendo efetuada a compostagem dos resíduos orgânicos;

Por todas estas razões o Parque de Avioso foi o primeiro da área metropolitana do Porto a receber o galardão de “Jardim ao Natural” promovido pela Lipor, que premeia as boas práticas de gestão sustentável de espaços verdes.

 

Para conhecer a biodiversidade do Parque de Avioso, poderá visitar um blog dedicado ao tema, através das excelentes fotografias de Inocêncio Oliveira e Teresa Rocha, ao qual recomendo uma visita. http://parquedeavioso.blogspot.pt/

 

Consulte aqui algumas fotos da biodiversidade do Parque.

Acções do Documento